Cooperativa Rizícola Pitangueiras Ltda

Capivari do Sul, 21/07/2024
  • LinkedIn
  • LinkedIn
  • LinkedIn
  • LinkedIn
Notícias

Mercado do arroz abre em queda em abril

por | abr 8, 2022 | Destaque, Notícias | 0 Comentários

Depois de marcar uma alta substancial no início do ano e quase 4% em março, os preços do arroz abriram o mês de abril em queda. As indústrias da Zona Sul marcaram preços de abertura, em média, R$ 2,00 abaixo das cotações da última semana. A conjuntura de mercado é toda voltada, neste momento, a um enfraquecimento das cotações, exceto pelo posicionamento do arroz em não ofertar.

Vamos aos pontos: o avanço da colheita no RS e a projeção de uma safra com perdas mais baixas do que o previsto (concentradas na Fronteira Oeste) estimada para o estado, a ruptura dos preços internos com as cotações internacionais, o aumento das compras no Mercosul e as novas exportações de arroz em casca e beneficiado impraticáveis, são fatores preponderantes, mas o vencimento dos contratos de CPR´s e outras modalidades de financiamento e custeio ajudam a consolidar este cenário. Ou seja, o produtor, mesmo contra a vontade, tende a precisar ofertar um pouco mais de grão neste momento.

Sabendo que o abastecimento está garantido, e somando o suprimento interno em 10,5 milhões de toneladas, mais um milhão e meio de estoques de passagem e um milhão de importações – com baixa oferta de exportações no momento – indústria e varejo se mostram mais tranquilos com relação à temporada. Está claro que há perda de qualidade em um percentual dos grãos colhidos, acima do normal, mas ainda assim a expectativa é de que o “meio da colheita”, ou seja, aquelas frações colhidas o final do primeiro terço e o meio do terceiro terço das áreas, consolidem alta produtividade e bom rendimento industrial.

Ou seja, há perdas por áreas abandonadas ou por manejo ineficiente da irrigação por falta de água e há perdas produtivas e de qualidade por causa do clima, em especial pelo excesso de calor na época de floração de algumas variedades – Guri Inta CL e IRGA 431, por exemplo – mas, as variedades de ciclo mais longo (IRGA 424; BRS Pampa e híbridos, por exemplo) tiveram um bom desempenho produtivo e “escaparam” de danos maiores.

Nas áreas de soja e milho em várzeas, exceto danos pontuais, as produtividades foram boas, e isso ajudará a dar fôlego na renda geral das propriedades.

Dito tudo isso, o retrato do momento é de um suprimento mais tranquilo do que o esperado entre dezembro e fevereiro, para indústria e varejo, de que o Brasil precisa de preços competitivos – e isso seria em torno dos US$ 12,50 a US$ 13,00; que o câmbio atualmente não é favorável às exportações e está dando maior sustentação às importações e que o consumo se manterá estável. Assim, o grande risco é de o Brasil carregar sua produção e boa parte do estoque do Mercosul para o segundo semestre, e isso afetar as cotações e reproduzir, em parte, o cenário do segundo semestre de 2021.

A inversão da tendência natural – de preços mais baixos no primeiro semestre e mais altos no segundo – não é tão rara assim nos últimos anos, em função de muitos fatores como o câmbio, o fluxo e o volume de oferta, entre outros.

Desta maneira, embora parte dos produtores não gostem que se mencione, o setor entende com naturalidade o cenário de retração, que pode ser ainda mais afetado a depender da estimativa de safra prometida para esta semana pelo Irga.

Desta maneira as cotações, de maneira geral, oscilam entre R$ 73,00 e R$ 78,00 no Rio Grande do Sul, dependendo da praça de comercialização e se o valor é “a levantar” ou liquidação “a depósito”. No Porto, valor referencial de R$ 76,00, mas sem negociação efetiva, pois a preço final para fazer volume de exportações, seria necessário, com o câmbio atual, operar abaixo dos R$ 73,00, o que em algumas regiões, descontado o frete, representaria menos de R$ 68,00. E tem mais CDO (R$ 0,77) e Funrural (1,5%).

INDICADOR

O Indicador de Preços do Arroz em Casca no Rio Grande do Sul, Cepea/Irga-RS, marcou nesta quarta-feira R$ 75,39 de referência para a saca de 50 quilos, 58×10, à vista, voltando ao patamar de um mês atrás. Recuou 1,77% na semana/mês e, com a elevação pouco superior a 1% do dólar, ontem, agora é equivalente a US$ 15,97.

 PREÇO AO CONSUMIDOR

Os preços ao consumidor, que haviam se fortalecido no final de março, também abriram a semana mostrando pequena retração, o que demonstra que o varejo está dificultando o repasse de valores pela indústria.

Fonte: ANÁLISE DE MERCADO – por Cleiton Evandro dos Santos – AgroDados – Planeta Arroz.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaques

Mural do Associado

Cotas Safra 2023/2024

Cota disponível para entrega de arroz junto a Cooperativa para a Safra 2023/2024.

Acesse sua conta na Cooperativa

Associados, oferecemos opções de consulta de saldos, extratos e controle da entrada de arroz na Cooperativa. Para acessar os dados exclusivos clique na opção: ÁREA RESTRITA (No Menu principal da Home do nosso site). Solicite sua senha junto a Cooperativa.

CORIPIL
  • LinkedIn CORIPIL
  • Instagram CORIPIL
  • Facebook CORIPIL
  • WhatsApp CORIPIL
CORIPIL

CORIPIL - COOPERATIVA RIZÍCOLA PITANGUEIRAS LTDA.
Av. Adrião Monteiro, 1466 - Capivari do Sul - RS - CEP 95.552-000
Fone: +55 (51) 3685-1177 - Cel.: +55 (51) 98151-7328
E-mail: coripil@coripil.com.br
CNPJ: 96.300.082/0001-69 - Insc. Est.: 433/0000058

SAC Coripil
  • LinkedIn
  • Instagram
  • Facebook
  • WhatsApp