Cooperativa Rizícola Pitangueiras Ltda

Capivari do Sul, 21/07/2024
  • LinkedIn
  • LinkedIn
  • LinkedIn
  • LinkedIn
Notícias

Tabela de Fretes: efeitos nocivos sobre a economia

por | fev 16, 2020 | Notícias | 0 Comentários

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) admitiu, pela primeira vez, que o tabelamento produziu efeitos nocivos à economia, em especial ao transporte rodoviário de cargas, gerando distorções como explosão da frota própria de caminhões por empresas e redução na contratação de motoristas autônomos para o serviço. Em nota técnica elaborada no fim do ano passado para embasar o último reajuste de 15% na tabela de frete publicada em 20 de janeiro/2020, a agência reguladora aponta problemas regulatórios em efetivar a lei do piso mínimo do frete. Editada em agosto de 2018 como uma das condições impostas pelos caminhoneiros ao então presidente Michel Temer para cessar a greve três meses antes. A agência, vinculada ao Ministério da Infraestrutura, ainda reconheceu que sua primeira resolução publicada em junho de 2018 como efeito da lei não se mostrou suficiente, de forma que o problema não foi totalmente equacionado.

No documento, a ANTT também atesta que a resolução seguinte, de julho de 2019, válida até hoje, ainda não se mostrou satisfatória a parcela do mercado, o que culminou em suspensão temporária da norma. Nesse caso, a medida, que contou com ampla consulta pública e foi encomendada à Esalq (escola de agronomia da USP), ficou suspensa por meses após pressão dos motoristas autônomos. Considerada mais equilibrada e justa, porém, ela acabou sendo republicada. Sendo assim, torna-se necessária uma reavaliação da regulação vigente a fim de aprimorar a metodologia construída e aproximar cada vez mais os pisos mínimos estabelecidos aos valores efetivamente justos em termos de valor mínimo acima do qual os fretes devem ser pagos. A ANTT ainda frisa que todos os atores envolvidos no sistema de frete rodoviário, como embarcadores, caminhoneiros autônomos e empresas transportadoras, sofreram impactos pela adoção da política de tabelamento do frete.

Nesse sentido, a agência concluiu que as transportadoras tiveram possível redução na margem de seus lucros, aumento em sua frota própria e menor contratação de autônomos. Por outro lado, os caminhoneiros sofreram com uma menor contratação pelos serviços de frete. As empresas contratantes de frete (embarcadores, como indústria e produtores rurais), também viram suas margens encolherem e perderam competitividade nos mercados interno e externo devido ao aumento do preço do frete. Entre os principais resultados do tabelamento para a economia que demonstram certa distorção no mercado, a ANTT mostrou que, ao fim de 2019, a frota própria de empresas transportadoras somou 1,2 milhão de caminhões, ultrapassando a mantida pelos autônomos (702,8 mil), principais defensores do piso mínimo do frete. Fonte: Valor Online. 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaques

Mural do Associado

Cotas Safra 2023/2024

Cota disponível para entrega de arroz junto a Cooperativa para a Safra 2023/2024.

Acesse sua conta na Cooperativa

Associados, oferecemos opções de consulta de saldos, extratos e controle da entrada de arroz na Cooperativa. Para acessar os dados exclusivos clique na opção: ÁREA RESTRITA (No Menu principal da Home do nosso site). Solicite sua senha junto a Cooperativa.

CORIPIL
  • LinkedIn CORIPIL
  • Instagram CORIPIL
  • Facebook CORIPIL
  • WhatsApp CORIPIL
CORIPIL

CORIPIL - COOPERATIVA RIZÍCOLA PITANGUEIRAS LTDA.
Av. Adrião Monteiro, 1466 - Capivari do Sul - RS - CEP 95.552-000
Fone: +55 (51) 3685-1177 - Cel.: +55 (51) 98151-7328
E-mail: coripil@coripil.com.br
CNPJ: 96.300.082/0001-69 - Insc. Est.: 433/0000058

SAC Coripil
  • LinkedIn
  • Instagram
  • Facebook
  • WhatsApp